terça-feira, 25 de dezembro de 2007

Desabafo inconveniente

Bom natal para vocês. O meu foi bom. O meu pós-natal é que beirou à tragédia. Idéia do famoso jerico. Fui comemorar o aniversário de um amigo - se é que se pode chamar assim alguém que você quase não vê, com quem não conversa, não sabe em que buraco foi parar a bendita confiança e que já não demonstra nenhuma das atitudes características de um amigo. Mas amigo mesmo assim, porque não existe ex-amigo. Não se desce na escala de amigo para conhecido voluntariamente. Às vezes chega-se ao grau de inimizade, às vezes de rival ou algo parecido. Fora desses casos, o que conseguimos é uma amizade distante, um pouco constrangida, que vai sendo esquecida aos poucos pela ordem natural da sobrevivência, porque quando é lembrada, traz uma mistura de saudade e revolta. Revolta por aquilo que tentamos em vão segurar, mas que insistiu em cair e se espatifar no chão. E no fim, depois de tantas conversas, tentativas e orações, já nem se sabe se é possível, se vale a pena, ou se é mesmo desejável que se juntem os cacos. Meu pós natal me fez relembrar por que eu evito certas situações. Me fez conviver por milhares de horas (umas 4) exatamente com a correnteza que levou para longe essa amizade, dentre outras coisas. Mas é a vida. Ainda creio que em situações como aniversários e casamentos, devemos deixar de lado as distâncias e correntezas e fazer-nos presentes. Sacrificar nossa zona de conforto para estar onde devemos estar. Quem sabe um dia os cacos resolvam tomar alguma forma... é sempre bom estar na lembranças e nas fotos de momentos marcantes da vida de quem nos é importante. Mas aaaaaaai, como eu sinto falta do programa alternativo e sem conflitos de sábado!!!! Nunca ri tanto na vida...

PS: Me desculpem a inconveniência deste post. Acho duvidoso que algum dos (6) leitores sinta-se ofendido mas, caso isso aconteça, me perdoe. É um desabafo, já vai passar. Provavelmente será excluído assim que eu estiver mais lúcida. Ass.: Eu, tonta de sono.

6 comentários:

ricardo disse...

Leitor nº 13 assina lista de chamada.

Desabafe, eu não me sinto nem me senti ofendido com isso. Uma das poucas coisas que escolhemos na vida são nossos familiares. De resto, você já sabe... Só se brinca de quebra-cabeças se quiser.

beijos, ricardo

Lee Cami disse...

(O nº do leitor é aleatório?)

Como te disse por telefone, às 5 da manhã, vc devia ter pedido para ir embora. Se tem algo que eu aprendi é que essas situações só devem existir pelo tempo suficiente da política de boa vizinhança estar completa. Acabou-se a paciência, chute o balde, vire as costas e vá embora. não se ofenda e nem permita um naco de depressão desperdçado em coisas que vc poderia simplesmente evitar.

Eu invoco o "ano do umbiguismo", como neologizou (com s ou z?) a TX, para situações como estas.

Beijos.

Marcia disse...

Se o Ricardinho não se sente ofendido, eu muito menos....
Mas que está passando da hora de você chutar esse balde, está!
Me desculpe, mas sinceramente acho que já virou masoquismo e posso estar sendo radical, mas acho que tem momentos que não tem que ter politica de boa vizinhança não. Tem vizinho que se acomoda, que usa e abusa e aproveita-se da sua vulnerabilidade.
Desculpe o meu desabafo!
rs!
bjs!

Rafa disse...

Me sinto um pouco culpado (apesar de não ter realmente culpa nenhuma). Se talvez estivesse lá, poderiamos dividir esse fardo, falando um com o outro rs. Desculpe por não estar lá para partilhar da situação.

Control+Alt+Del disse...

WOW! qui massa!!!! =D jamais delete um post sem antes me perguntar se já passei meus olhos! hehehe muito bom perceber que as pessoas podem ser "sutis" em desabafos pelo blog! hihihi adorei! pois é.... e nem me senti ofendida!... huuummm....
bjim! esse é meu novo blog! pa apanhei do pc... afff
http://temquedeletar.blogspot.com/

Eucana disse...

adorei a parte de não existe ex amigos.. pensei, quis discordar ..mas realmente só se virá inimigo...

adorei!! escreve muito bem .. desde já acompanho seu blog posso??

bzzu
by: eucana